oab exame de ordem

Escritório de advocacia em casa: vale a pena?

Após a conclusão da graduação em Direito e com a aprovação no exame de ordem está na hora de pensar em como se inserir no mercado de trabalho.

Afinal, o sonho de todo advogado recém formado é ter o próprio escritório, não é mesmo?

Se você, como boa parte dos novos profissionais no mercado, não tem uma reserva inicial para investir em uma locação de um espaço comercial para atender seus clientes, pode começar montando seu escritório em casa.

Para isso, o ideal é que você tenha uma sala ou um quarto para montar seu escritório. E mais importante que o local: manter o foco e trabalhar como se estivesse mesmo fora de casa. Nada de passar o dia de pijama ou ficar postergando as tarefas para ver um pouquinho mais da sua série preferida.

Trabalhar em estilo home office pode te ajudar a economizar no começo da carreira, mas também exige de você muito mais dedicação e foco nos objetivos.

Agora, se você não dispõe de um local que fique separado em sua casa para montar seu primeiro escritório, não se preocupe! O mundo dos negócios está cada vez mais conectado! Você pode atender seus clientes, tirar dúvidas através de aplicativos de mensagens e chamadas de vídeo, como o Skype ou WhatsApp.

Se ainda sim, ter um local para conversar pessoalmente e agendar reuniões é imprescindível para seu trabalho, você pode optar pelos espaços coworking. Esses espaços são compartilhados com diversos profissionais de outras áreas e com um custo muito mais baixo que manter sozinho um endereço comercial. Além disso, alguns locais não cobram um valor mensal, você pode agendar a locação de uma sala de reuniões e pagar apenas pelo período que usar.

Como vimos, existem opções econômicas para advogados em começo de carreira. Mas não se esqueça: só pode exercer a função de advogado quem concluiu a graduação em Direito e foi aprovado no Exame de Ordem.

 

Como se preparar para o Exame de Ordem

Se você está começando a se preparar agora pode estar pensando que é muita coisa para estudar antes de fazer a prova. Realmente é! A prova é complexa e exige muitos conhecimentos dos candidatos. Por isso, o ideal é você contar com um curso oab.

Com o preparatório online, o aluno tem acesso a videoaulas em formato de planos de estudos, com os conteúdos que realmente são cobrados no Exame. As aulas são preparadas com foco na sua aprovação, priorizando as disciplinas com maior peso ou quantidade de questões.

Com esse conteúdo especial, que vai direto ao ponto, você não precisa mais se perder em meio a várias apostilas e livros.

Além disso, o curso contempla as duas fases do Exame, te deixando mais seguro e preparado para garantir sua aprovação por meio de videoaulas práticas e dinâmicas, que te ensina todos os segredos necessários para ter em mãos a sua tão sonhada carteirinha da OAB.

Estudar com videoaulas é a melhor opção para quem busca aliar teoria e prática, com uma preparação específica que contempla o acompanhamento de profissionais.

Weintraub

ID Estudantil vai ser cancelado? O que acontece com a Medida Provisória vencida

Um dos principais projetos do Ministério da Educação do altamente criticado Weintraub está prestes a morrer na praia. O aplicativo Id Estudantil que garante a carteirinha estudantil digital para identificação estudantil e uso como documento oficial para garantia de meia entrada em eventos culturais grantido ao ensino básico, tecnológico e superior precisaria ser votado a tempo para ter continuidade ao ID Estudantil app. Entretanto, tudo indica que isso não será feito à tempo, o que além de fazer o projeto ser obrigatoriamente cancelado garantirá danos financeiros ao ministério e aos cofres públicos devido o investimento desperdiçado.

O projeto foi aprovado primeiramente por meio de uma Medida Provisória 895/2019. O lançamento do app foi uma justificativa de facilitar a identificação estudantil e para compartilhar informações dos alunos entre os sistemas educacionais que pertencem ao ministério. Entretanto, para que pudesse continuar válida precisaria ser votado no Congresso em até 120 dias, o que não foi feito.

O prazo para ser aprovada era de domingo dia 16 de fevereiro. O problema é que desde o lançamento ninguém mais votou ou discutiu o projeto o que fará com que a data limite seja quebrada e o projeto tenha de ser cancelado, tendo uma aprovação impossibilitada.

Mesmo após o cancelamento será possível uma nova tentativa ou estratégia por parte do ministro par aprovar novamente a carteirinha digital, entretanto, os próprios congressistas que já tem muitas críticas ao ministro veem o projeto como um verdadeiro desastre e não devem fazer grandes esforços para que ele aconteça. O  próprio presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), já afirmou que não negociaria com o chefe da pasta da Educação, pois ele representa o grupo da “bandeira do ódio”.

Em nota, Abraham disse que o governo vai encaminhar um projeto de lei para insistir na emissão do documento, entretanto, além dos próprios congressistas como barreira em seu caminho também terá que lidar com a oposição do próprio projeto, que já prejudicou a UNE e vários outras instituições educacionais desfavoráveis ao app e, mais em específico, aos demais projetos de Weintraub como ministro.

Quanto de prejuízo o governo vai ter com o cancelamento do ID Estudantil?

O dinheiro que já foi gasto para a construção do projeto é de 2,5 milhões somente na divulgação da nova carteirinha digital. A produção do sistema totalizou R$ 1 bilhão. Para se ter uma ideia, o valor gasto com o projeto é o maior gasto publicitário do MEC em 2019, perdendo apenas para a propagando do projeto “Conta Para Mim” que incentiva os pais a lerem para os filhos, que foi no valor de 3,2 milhões e a do Enem 2019 (historicamente o que mais gasta no MEC dada sua importância) que foi um total de 3,1 milhões.

O que acontece com quem já tem a carteirinha digital habilitada?

Já são mais de 3 milhões de downloads do aplicativo feito pelas lojas oficiais de aplicativos e uma média de 270 mil documentos emitidos, segundo o MEC. Desse total, 87 mil foram solicitados somente no último 20 dias – bem próximos à validade da medida provisória. Como não se sabe se o projeto conseguirá manter-se no ar devido à falta de organização dentro do Congresso e, sobretudo, no Ministério da Educação, a MP garante que as carteirinhas digitais valem enquanto o aluno permanecer matriculado na instituição, mesmo que ela não seja votada no Congresso.

Entretanto, não poderão ser feitas novos cadastros caso não seja aprovada a tempo. Desse modo, nem todas as carteirinhas emitidas serão desabilitadas, entretanto, o projeto que era para ser democrático e inclusivo torna-se contraditório e um peso financeiro de um projeto que não foi devidamente estabelecido conforme as regras definidas pela lei.

Em que pé está as acusações contra Weintraub – O que será do Ministro da Educação?

O Ministério da educação do Brasil desencadeou uma tempestade política ao apelar ao público para que denuncie pais, estudantes e professores que “estimulam” os protestos contra cortes orçamentais durante o horário escolar.

O Ministério publicou seu apelo, que continha um link para onde as pessoas poderiam informar em seu site, assim como uma segunda rodada de manifestações contra o corte do financiamento da educação ocorreu em mais de 100 cidades em todo o país na quinta-feira.

A nota, que afirmava que “professores, fornecedores, funcionários, estudantes, pais e responsáveis não estão autorizados a divulgar e estimular protestos durante o horário escolar”, provocou uma tempestade imediata de críticas sobre o controverso ministro da educação Abraham Weintraub.

Em meio a acusações de totalitarismo incipiente, os políticos da oposição estão se mobilizando para acusar o ministro de abuso de autoridade, enquanto em comentários à mídia local um dos principais promotores federais do país disse que a nota de seu ministério poderia violar a constituição e o estatuto da criança e do adolescente do país.

O Sr. Weintraub iniciou a atual ronda de agitação estudantil ao dizer que estava a reduzir o financiamento para três universidades por causa do que ele disse ser a sua promoção de “confusão” em vez de se concentrar nos padrões académicos. Depois que seu plano inicial foi recebido com indignação, ele abandonou a ideia de punir instituições individuais para revelar um congelamento de financiamento em todo o setor universitário público.

Um acólito do ex-astrólogo virou teórico da conspiração que é o guru de vários ministros do Presidente da extrema-direita Jair Bolsonaro, o Sr. Weintraub prometeu combater o que ele vê como “marxismo cultural” no setor de educação do país.

A nota de quinta-feira também advertiu que as instituições educacionais são proibidas por lei de promover ações organizadas por partidos políticos. O governo de Bolsonaro tem procurado retratar os recentes protestos estudantis como sendo organizados por seus opositores de esquerda.

O ministro já foi acusado por promotores federais por danos morais depois que o acusaram de “discriminação odiosa dirigida aos representantes do movimento estudantil” desde que assumiu o ministério em abril.A acusação inclui como evidência uma conversa que o ministro teve com políticos no nordeste do Estado do Rio Grande do Norte que o questionou sobre a falta de financiamento para serviços básicos de limpeza em universidades locais. O Senhor Deputado Weintraub respondeu que os organismos sindicais de estudantes deveriam ser chamados a limpar as instituições.